Macunaíma retrata o “jeitinho brasileiro” de ser.

A educação encontra-se impregnada por aspectos que são culturais, econômicos e sociais. As contribuições do pedagogo e cientista social Paulo Freire, na pedagogia da autonomia, vão auxiliar na formação de pessoas, como seres humanos preparados para tomar decisões na convivência com outros. O famoso “jeitinho” brasileiro de se sobressair, em certas situações difíceis, é resultado de deseducação e desgovernos que não garantiram esse nível de informação com atuação em autoestima, respeito mútuo e respeito social.

A professora Eunice Prudente lembra a proibição da obra Macunaíma nas escolas. Ela diz que “os governantes não podem proibir o acesso à cultura, isso está discriminado no artigo 216 da Constituição brasileira. Essa é uma atuação inconstitucional. Não se pode privar as pessoas de conhecer uma obra do Modernismo que traz uma educação cívica, de não se atuar com o mau-caratismo e o famoso jeitinho à brasileira”.

Fonte: https://jornal.usp.br/radio-usp/macunaima-retrata-o-jeitinho-brasileiro-de-ser/

18 de maio de 2020
Macunaíma retrata o “jeitinho brasileiro” de ser.