Para fundador da Khan Academy, pandemia acelerou digitalização da educação em pelo menos dez anos.

“Essa é uma situação em que você precisa aprender a nadar depois de ser jogado na piscina.” A metáfora é de Sal Khan, fundador da Khan Academy, para o momento do setor de educação durante a pandemia. Com o fechamento de inúmeras escolas ao redor do mundo, a saída foi digitalizar às pressas e tentar resolver novos desafios que nem haviam sido imaginados. O que, segundo um dos educadores mais conhecidos do mundo digital, acelerou o processo de digitalização do setor em pelo menos dez anos.

Os números da Khan Academy mostram isso. Nos últimos três meses, a plataforma online de educação recebeu 20 vezes mais pedidos de registros por parte de pais e responsáveis; enquanto estudantes e educadores registraram um aumento de dez vezes nos pedidos de registro na plataforma. “A pandemia está mostrando que o aprendizado não deve se restringir ao tempo e espaço”, afirma Sal.

Em entrevista a Época NEGÓCIOS, o fundador ainda discutiu sobre temas como futuro da educação, tecnologia e o papel do professor no meio desse processo. “Sempre digo: se me pedirem para escolher entre uma tecnologia maravilhosa e um professor maravilhoso, sempre vou escolher o professor.”

Época NEGÓCIOS: Você é considerado uma das principais vozes do ensino à distância. Como vê essa questão na pandemia?

O que você acha que escolas e professores podem aprender a partir desta experiência?

Quando converso com educadores, sempre há uma porção muito animada com a tecnologia, e uma outra turma menos interessada em testar as ferramentas. Com essa crise, acho que todos tiveram de olhar para a tecnologia de alguma forma. E isso está sendo desconfortável, porque afetou diretamente estruturas muito sólidas. Acredito que, a partir de agora, muitas ferramentas serão vistas de outra forma. Acho que educadores irão repensar coisas simples, como as férias de verão [pausa que acontece no mês de julho, nos Estados Unidos]. Esse é um período de aprendizado perdido, em que as habilidades das nossas crianças atrofiam.

Do outro lado, crianças que não têm acesso a internet ou a computadores começam a ser olhadas de outra forma também. A prefeitura de Nova York conseguiu em poucas semanas uma doação de 300 mil notebooks conectados à internet para famílias com menos condições. Essa é uma implicação que afeta diretamente um dos principais argumentos contra o ensino à distância: que é a falta de acesso por parte da população. Com a crise, esse problema ganhou um novo olhar. É um ponto positivo, por assim dizer.

Realisticamente, acho que pelo menos dez anos para pensarmos em expandir nesse nível de acesso. Além disso, também acredito que sem essa crise muitas dessas mentes que não eram abertas às mudanças causadas pelo digital jamais teriam mudado.

Muitos pais têm sentido dificuldade na hora de ensinar seus filhos em casa. O que você falaria para eles?

Olha, muitas vezes eu e minha esposa nos sentimos assim. A primeira coisa é pensar que o aprendizado não é uma corrida curta, mas uma maratona. Uma ultramaratona. E a realidade é que os pais não vão conseguir replicar em casa tudo que uma escola oferece. O segredo é balancear entre materiais mais profundos e brincadeiras, promovendo a criatividade daquela criança. Uma questão que acho muito importante é não deixar as crianças desligarem a questão do aprendizado durante as férias. Durante esse período, é importante manter exercícios relacionados à escola pelo menos por um tempo no dia.

Você acredita que os professores saem dessa pandemia mais valorizados?

Devemos sempre valorizar os professores. O momento mostrou para os pais e responsáveis o valor do foco. Se muita gente tem encontrado dificuldade com apenas uma criança em casa, imagine um professor que encara uma sala com 30 alunos. Então acho que sim, como os profissionais de saúde, esse é um momento para reconhecer o trabalho feito pelos educadores.

Fonte: https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2020/06/para-fundador-da-khan-academy-pandemia-acelerou-digitalizacao-da-educacao-em-pelo-menos-dez-anos.html

29 de junho de 2020
Para fundador da Khan Academy, pandemia acelerou digitalização da educação em pelo menos dez anos.